Abordagem

– Nossa, que princesa!

Como a D. Encrenca que vive em mim não gosta de deixar nada quieto:

– Se fosse pra sua mãe você não falava isso, né, mocréio?!

– Mocréia é você!

– Ah, desculpe, pensei ter ouvido “princesa”, mas tanto faz, você continua mocréio.

– Vadia

Vi o metal dourado reluzente no anelar esquerdo:

– Coooorno!

Exaltou-se:

– Piranha!

– Pinto mole!

– Baranga!

– Brocha!

Ia aumentando o tom de voz, cada vez mais irado:

– Sapatão!

– Viado…

– Vagabunda!

– Enrustido!

– Puta!

– Ejaculação precoce, certeza!

– Recalcada!!!

– Ih, isso aí é xingamento de mulher, hein? Seu pinto deve ser menor que meu dedo mindinho. Não vou mais perder meu tempo!

Saí andando a passos firmes, como se nada tivesse acontecido, enquanto o galante rapaz continuava a vociferar elogios!

— x —

O mais curioso do “diálogo” é a natureza dos xingamentos… enquanto os dirigidos a mim, mulher, pretendem ofender por trepar livremente, os dirigidos ao homem ofendem por supor que lhe falta virilidade.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: